domingo, 2 de abril de 2017

Integração das MÍDIAS e Novas TECNOLOGIAS

Mídias e Tecnologias
          Quando ouvimos falar em tecnologia, normalmente nos vem à cabeça a ideia de complexos artefatos tecnológicos, de forma que não nos damos conta de que utilizamos diversas tecnologias que já estão incorporadas ao nosso cotidiano. Podemos citar como exemplos simples: canetas, lápis, talheres, óculos, termômetros, etc.

Tecnologia

          Do grego tekhno- (de tékhné, 'arte') e -logía (de lógos, ou 'linguagem, proposição').

Tecnologia é um termo usado para atividades do
domínio humano, embasadas no conhecimento de um processo e/ou no manuseio de ferramentas. A tecnologia tem a possibilidade de acrescentar mudanças aos meios por resultados adicionais à competência natural, proporcionando, desta forma, uma evolução na capacidade das atividades humanas, desde os primórdios do tempo.

 Mídias

       Nos dias atuais, tornou-se necessário criar espaços para a identificação e o diálogo entre várias formas de linguagem, permitindo que as pessoas se expressem de diferentes maneiras.

A linguagem, por si só, já constitui um instrumento de interação entre o pensamento humano e o seu meio. Essa comunicação pode ocorrer de modo direto ou pode ser mediada por outros instrumentos e artefatos (tecnologias).

          Considerando-se que o indivíduo se desenvolve e interage com o mundo utilizando suas múltiplas capacidades de expressão por meio de variadas linguagens constituídas de signos orais, textuais, gráficos, imagéticos, sonoros, entre outros, as mídias passam a configurar novas maneiras para os indivíduos utilizarem e ampliarem suas possibilidades de expressão, constituindo novas interfaces para captarem e interagirem com o mundo. 
          Termo usado para referenciar um vasto e complexo sistema de expressão e de comunicação.

Literalmente, "mídia" é o plural da palavra "meio", cujos correspondentes em latim são "media" e "
medium
", respectivamente.

Na atualidade, mídias é uma terminologia usada para:
suporte de difusão e veiculação da informação (rádio, televisão, jornal) para gerar informação
(máquina fotográfica e filmadora).

A mídia também é organizada
pela maneira como uma informação é transformada e disseminada (mídia impressa, mídia eletrônica, mídia digital...), além do seu aparato físico ou tecnológico empregado no registro de informações (fitas de videocassete, CD-ROM, DVDs).
                 A palavra escrita, o discurso oral, o som, a imagem estática e em movimento formam o substrato da mídia. 
Fonte: http://webeduc.mec.gov.br

 


domingo, 26 de março de 2017

A importância da Tecnologia na Educação.

video

Curtindo "Tempos Modernos"!

 
     O filme "Tempos Modernos", de Charles Chaplin, foi produzido em três anos entre 1933 e 1936é uma fonte riquíssima para enfocar a evolução das tecnologias, desde a questão do áudio, cor e mostrar a influência e o impacto do maquinismo e das utopias técnico-científicas na contemporaneidade.  

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=7TUE_L2u3eg

domingo, 5 de fevereiro de 2017

A profissão de ser professor


           "A arte de ensinar é uma tarefa difícil demais para que alguém se envolva nela por comodismo, falta de fato melhor, ou porque é preciso auferir ganhos.
          Os padres da Companhia de Jesus, instalaram a primeira escola em 1549. O ensino nesta época era tradicional. A escola tradicional permaneceu por aproximadamente trezentos e oitenta e três anos. Com o governo de Getúlio Vargas, deu-se início à escola nova, onde o professor não se comportava como o transmissor de conhecimentos e sim um facilitador de aprendizagem, onde o aluno era um ser ativo e participante e estava no centro do processo de ensino/aprendizagem. Essa escola era uma escola democrática e divulgada para todos (o cidadão democrático).

          O advento da escola nova foi em 1932. Em 1964 tem início a Escola Tecnicista, e o modelo americano é instituído em nosso país. Com o tecnicismo empregado em todos os campos, o aluno era impedido de criar e pensar, impediu-se a expressão dialética. Na escola tecnicista o social era ditado pelos militares que detinham o poder, e foram anunciados padrões e métodos educacionais com ferramentas que impressionavam e davam subsídios diferentes nas formas de ensinar. Nesta época foram instalados os recursos audiovisuais como suporte pedagógico, a instrução programada e o ensino individualizado.

          Em 1983 deu-se o aparecimento da Escola Crítica, onde o professor era o educador que orientava o contorno da aprendizagem com participação real do aluno, aluno enfatizado como cidadão, aluno que construía e ressignificava a história. Na Escola Crítica havia articulação e interação entre o educador e o educando, sendo empregados todos os contornos que possibilitavam a apreensão crítica e reflexiva dos conhecimentos com enfoque na construção e reconstrução do saber.

          Já no século XXI, observamos que na construção do saber a tecnologia passa a dominar os espaços locais e temporais, impedindo a atuação dialógica, a interação, e a transmissão de emoções . Com o uso inadequado da tecnologia há a individualização do ser humano, tornando-o espectador e talvez um indivíduo sem estímulo para superar barreiras, sem explicação dialética do dia-a-dia, sem afinidade com o social e alienado em suas relações com o global. Com a escola tecnológica, corre-se o risco de exclusão do indivíduo no social, fechando-o em seu mundo, sem articulação com os demais membros da sociedade. Devemos aliar forças para que isso não aconteça, buscando todas as oportunidades em busca da criatividade, pois a educação tem por intenção a humanização do homem.

          Devemos ter em mente que os professores exercem um papel insubstituível no processo da transformação social. A formação identitária do professor abrange o profissional, pois a docência vai mais além do que somente dar aulas, constituiu fundamentalmente a sua atuação profissional na prática social. A formação dos educadores não se baseia apenas na racionalidade técnica , como apenas executores de decisões alheias, mas , cidadãos com competência e habilidade na capacidade de decidir, produzindo novos conhecimentos para a teoria e prática de ensinar.

          O professor do século XXI, deve ser um profissional da educação que elabora com criatividade conhecimentos teóricos e críticos sobre a realidade. Nessa era da tecnologia, os professores devem ser encarados e considerados como parceiros/autores na transformação da qualidade social da escola, compreendendo os contextos históricos, sociais , culturais e organizacionais que fazem parte e interferem na sua atividade docente. Cabe então aos professores do século XXI a tarefa de apontar caminhos institucionais (coletivamente) para enfrentamento das novas demandas do mundo contemporâneo, com competência do conhecimento, com profissionalismo ético e consciência política. Só assim, estaremos aptos a oferecer oportunidades educacionais aos nossos alunos para construir e reconstruir saberes à luz do pensamento reflexivo e crítico entre as transformações sociais e a formação humana, usando para isso a compreensão e a proposição do real, sem deixar se seduzir pelos caminhos deslumbrantes dos anúncios publicitários, pelas opiniões tendenciosas da mídia.
          ...
          Precisamos ser valorizados pelo nosso trabalho profissional, pois passa pela escola e pela mão dos Professores todos os cidadãos desta nossa Pátria Brasil! "

Autora: Amelia Hamze
Educadora
Profª UNIFEB/CETEC e FISO - Barretos

Sejam Bem Vindos!

                "PREZADOS ALUNOS, PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS...

          Em todos os povos do mundo, em todas as épocas da humanidade, o que se espera de uma nova geração é que ela aprenda os ensinamentos dos mais velhos e siga os passos daqueles que já trilharam muitos caminhos. Os pais esperam dos seus filhos que os escutem e ponham em prática, o que eles lhes ensinam. Os professores se orgulham dos alunos que os seguem.
          O Conhecimento não é somente assimilar passivamente um saber, um conteúdo, um objeto.      Admitimos a idéia de que devemos partir de algo, mas para que haja conhecimento esse algo deve ser transformado, repensado, ter que adquirir novo significado e ser re-elaborado. Podemos fazer isso em conjunto, com outros indivíduos, mas cada um, individualmente, precisa contribuir com sua parcela de intelectualidade e de ação.
          Juntos queremos, nesse novo ano letivo fortalecermos nosso espírito para que os objetivos almejados em nossos projetos sejam alcançados com sucesso. E nesta caminhada precisaremos de perseverança, senso de compromisso, dedicação, entrosamento e responsabilidade.
          É com esse espírito e amor pela educação, que damos as boas vindas e um bom retorno a todos: alunos, pais, professores e demais funcionários para que com vibração e alegria iniciemos nossas atividades.
          Esperamos que todos nós possamos nos apropriar dos saberes que nos serão colocados nesta ano. Esperamos também que cada um siga os seus próprios passos, que trilhe novos caminhos, que ouse, que transforme. Damos as boas vindas e desejamos um ano letivo de comprometimento e ressignificação de valores sociais e educacionais aos alunos e seus pais, a professores e funcionários desta grande família chamada Instituto de Educação Eliana Duarte da Silva Breijão".

http://www.esoterikha.com/coaching-pnl/mensagem-de-boas-vindas-inicio-das-aulas-boas-vindas-inicio-ano-letivo-dinpro.php

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Ética na internet ou internet com ética?


Não precisamos ser gurus para perceber que o mundo está passando por uma quarta onda de transformações. É cada vez mais repetitivo dizer que estamos vivendo a era da revolução da informação, lastreada na tecnologia disponível, que elimina as barreiras da distância relacionada à língua e à cultura e nos conduz a novos processos de produção, a novas formas de diversão, a um novo modo de viver e pensar, agir e interagir.

Mas, quanto mais veloz e voraz é o avanço tecnológico, maior é o abismo que separa o mundo tecnologicamente "in" do mundo tecnologicamente "out".

Consequentemente, estas transformações na escola estão relacionadas aos alunos de hoje, que já não são iguais aos de ontem, principalmente no que se refere aos comportamentos ético e disciplinar. Não adianta nos lamentarmos diante disso, pois tal fato é consequência de que os pais também não são iguais aos de antigamente; as cidades mudaram, os valores humanos, enfim, o mundo todo mudou. As transformações dos últimos quinze anos foram muito mais significativas do que as ocorridas de 1900 a 1990.

As principais mudanças mundiais, entretanto, concentram-se nas formas de comunicação, especialmente em razão do avanço da informática e dos meios eletrônicos. Os diálogos entre amigos, que até a década de 1970 ocorriam pessoalmente, no final do século XX passaram a acontecer por telefone e hoje se dão pelo computador.

Seguindo o “velho conselho” de um sábio pensador, vale lembrar que “Há coisas que pensamos, mas não dizemos; e outras que dizemos, mas não escrevemos, sob pena de nos arrependermos”.

Entretanto, sem levar em conta a lição acima, as conversas de hoje são registradas. As comunidades Facebook, Orkut, os e-mails, torpedos via telefone celular e os bate-papos virtuais imperam entre os jovens. Temos nos deparado com diversos relatos de abusos no uso dessas formas de comunicação.

Pensamos que o grande desafio é conscientizar as crianças e adolescentes, de que alguns comportamentos na utilização dos meios eletrônicos são “atos infracionais” e devem ser restringidos.

É importante que todos saibam que suas comunicações virtuais não lhes garantem o anonimato, como muitos parecem acreditar. É fundamental que tenham a informação de que não podem ofender as pessoas impunemente, nem imputar conduta imoral ou desonrosa a alguém, sob pena de responderem por tais atos. Mesmo sendo menores de idade, na medida em que cometam “crimes”, podem ser responsabilizados em consonância com o Estatuto da Criança e do Adolescente. Essa lei oferece vários direitos à criança (menor de 12 anos) e ao adolescente (menor entre 12 e 18 anos), mas é preciso alertá-los de que ela também pune.

É oportuno destacar que os “atos infracionais” podem gerar punições, especialmente aos adolescentes, que são as seguintes: I - advertência; II - obrigação de reparar o dano; III - prestação de serviços à comunidade; IV - liberdade assistida; V - inserção em regime de semiliberdade; e VI - internação em reformatórios (estabelecimento correcional privado).

É de extrema importância saber que se pode estar cometendo crimes de injúria, calúnia ou difamação. Como reforço, devemos mencionar que ao “ofendido” é possível pedir que o Judiciário faça a identificação do autor, pois ele que não conta com o anonimato. O autor das mensagens deve pensar mais antes de escrevê-las, pois poderá responder legalmente pelos seus atos.

Para tanto, sugerimos que todos reflitam sobre o que é ética e se conscientizem de que a boa convivência na Internet depende de uma série de regras conhecidas como netiqueta ou etiqueta na rede. As regras incluídas na netiqueta não foram definidas por uma autoridade no assunto, mas criadas pelos próprios usuários ao longo do tempo. Também não existe um texto único e definitivo sobre o tema, mas várias interpretações espalhadas pela rede.

Diante disso temos que fazer uma pergunta para nos mesmos, Eu sei o que é ética?

Segundo o Dicionário Aurélio Buarque de Holanda, ÉTICA é "o estudo dos juízos de apreciação que se referem à conduta humana susceptível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente a determinada sociedade, seja de modo absoluto”.

Alguns diferenciam ética e moral de vários modos:

Ética é princípio, moral são aspectos de condutas específicas;

Ética é permanente, moral é temporal;

Ética é universal, moral é cultural;

Ética é regra, moral é conduta da regra;

Ética é teoria, moral é prática.

Etimologicamente falando, ética vem do grego "ethos", e tem seu correlato no latim "morale", com o mesmo significado: Conduta, ou relativo aos costumes. Podemos concluir que etimologicamente ética e moral são palavras sinônimas.

Leia os Dez Mandamentos da Ética na Internet:

·         Não use o computador para prejudicar as pessoas.

·         Não interfira no trabalho de outras pessoas.

·         Não altere arquivos alheios.

·         Não use o computador para roubar.

·         Não use o computador para obter falsos testemunhos.

·         Não use nem copie softwares pelos quais você não pagou.

·         Não use os recursos de computadores alheios sem pedir permissão.

·         Não se aproprie de idéias que não são suas.

·         Pense nas consequências sociais causadas pelo que você escreve.

·         Use o computador de modo que demonstre consideração e respeito.

E concluindo nosso papo, acredito que poderíamos refletir de novo.

Afinal, o que é ética?    ÉTICA é algo que todos precisam ter.   Alguns dizem que têm.  Poucos levam a sério.  Mas temos que nos conscientizar de que ela é essencial para nossa sobrevivência social.

 

http://www.gdv.com.br/etica/etica.htm

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARBROOK, Richard. Cybercommunism. How the Americans are Superseding the Capitalism in Cyberspace. Disponível na Web em (03/03/2001)

BROCKMAN, John. Digerati. Encontros com a Elite Digital. Ed. Campus. São Paulo, 1996.

BEAMISH, Anne. Commuties on-line: A Study of Community – Based Computer Networks. Tese de Mestrado em Panejamento de Cidades. Instituto de Tecnologia de Massachusetts – Estados Unidos. 1995. (06/10/1998).

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. (A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura. Vol.1). São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COATE, John. Cyberspace Innkeeping: Building Online Community. 1993. Gopher://gopher.well.sf.ca.us/00/Community/innkeeping (06/10/1998).

FARMER, R. MORNINGSTAR, C. CROCKFORD, D. From Habitat to Global Cyberspace. <> (29/06/00)

FERNBACK, Jan e THOMPSON, Brad. Virtual Communities: Abort, Retry, Failure? (06/10/1998).

HAMMAN, Robin. Introduction to Virtual Communities Research and Cybersociology Magazine Issue Two.<> (06/10/1998).

LÉVY, Pierre. O que é o virtual? Coleção Trans. Editora 34. São Paulo, 1997.

DICIONÁRIO, Aurélio Buarque de Holanda

ESMANHOTTO, Luís César, fale com – o jurídico - Os recursos eletrônicos e o mau uso pelos alunos, 2005

VALLS, Álvaro L.M. O que é ética. 7a edição Ed.Brasiliense, 1993

 

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Todos na Campanha Zika Zero !!!!

CONHECENDO O INIMIGO
          O mosquito Aedes aegypti é pequeno, mas causa grandes estragos. Ele mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, de cor café ou preta e com listras brancas no corpo e nas pernas.

DENGUE:          A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira vez em 1986. Estima-se que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente no mundo.
 

VÍRUS ZIKA: CUIDADO REDOBRADO COM AS GRÁVIDAS
          O Zika é um vírus transmitido pelo Aedes aegypti e identificado pela primeira vez no Brasil em abril de 2015. O vírus Zika recebeu a mesma denominação do local de origem de sua identificação em 1947, após detecção em macacos sentinelas para monitoramento da febre amarela, na floresta Zika, em Uganda.
          Um dos maiores estragos que esse inseto causa é a transmissão do Vírus Zika, uma ocorrência nova no Brasil, que pode afetar as mulheres gestantes e causar consequências sérias e profundas no desenvolvimento de seus bebês, como a MICROCEFALIA.

O QUE É CHIkUNGUNYA?          A Febre Chikungunya é uma doença transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. No Brasil, a circulação do vírus foi identificada pela primeira vez em 2014. Chikungunya significa "aqueles que se dobram" em swahili, um dos idiomas da Tanzânia. Refere-se à aparência curvada dos pacientes que foram atendidos na primeira epidemia documentada, na Tanzânia, localizada no leste da África, entre 1952 e 1953.  O QUE É MICROCEFALIA?
          Ocorre quando a cabeça e o cérebro das crianças são menores para a sua idade, o que prejudica
o seu desenvolvimento. Por isso, mulheres grávidas devem ter atenção especial e acompanhamento
em consultas pré-natais.
 
SINTOMAS E O QUE FAZER
          Os principais incômodos são febre baixa, coceira e comichão na pele, além de manchas avermelhadas. Quando isso ocorrer, procure rapidamente o serviço de saúde mais próximo, para receber orientações médicas.


Prevenir é o melhor remédio
          A ação mais simples para prevenção da dengue é evitar o nascimento do mosquito, já que não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação. Para isso, é preciso eliminar os lugares que eles escolhem para a reprodução.
          A regra básica é não deixar a água, principalmente limpa, parada em qualquer tipo de recipiente.
Como a proliferação do mosquito da dengue é rápida, além das iniciativas governamentais, é importantíssimo que a população também colabore para interromper o ciclo de transmissão e contaminação. Para se ter uma ideia, em 45 dias de vida, um único mosquito pode contaminar até 300 pessoas.
prevenção da dengue
Ciclo de Transmissão da Dengue (Imagem: MDS)
          

Ações simples para combater a proliferação do mosquito da dengue

          A dica é manter recipientes, como caixas d’água, barris, tambores tanques e cisternas, devidamente fechados. E não deixar água parada em locais como: vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores, além de outros locais em que a água da chuva é coletada ou armazenada.
É bom lembrar que o ovo do mosquito da dengue pode sobreviver até 450 dias, mesmo se o local onde foi depositado o ovo estiver seco. Caso a área receba água novamente, o ovo ficará ativo e pode atingir a fase adulta em um espaço de tempo entre 2 e 3 dias. Por isso é importante eliminar água e lavar os recipientes com água e sabão.
Prevenção da Dengue
Guarde garrafas sempre de cabeça para baixo.
Encha de areia, até a borda, os pratinhos dos vasos de planta.
Entregue seus pneus velhos ao serviço de limpeza urbana ou guarde-os sem água, em local  coberto e abrigados da chuva
         
Dica: Como eliminar as larvas e os mosquitos da dengue
          Pesquisadoras da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de São José do Rio Preto (SP) descobriram que a cafeína é fatal para o desenvolvimento da larva do Aedes aegypti. No estudo, elas verificaram que quanto maior a concentração de cafeína na água parada contida em vasos, ralos e plantas, menor o tempo de vida das larvas. De acordo com as cientistas, foi  registrada uma taxa de mortalidade de 100%. Nenhuma das larvas conseguiu chegar ao último estágio de desenvolvimento.
Resultados semelhantes foram obtidos com a borra de café. Em laboratório, quatro colheres de sopa de borra de café bloquearam o desenvolvimento de larvas mergulhadas no equivalente a um copo de água.
          Em situações de epidemia de dengue, o método de combate mais usado contra a reprodução do mosquito é a aplicação de inseticidas, mas a maioria desses produtos é tóxica. Além disso, com o tempo, os mosquitos podem adquirir resistência a essas substâncias. A borra de café funciona como um inseticida natural e não faz mal para seres humanos, animais e plantas.
          Outros produtos, como o sal de cozinha e a água sanitária, têm sido recomendados contra o Aedes egypti. Mas há limitações: eles não podem ser aplicados em plantas, por exemplo. A borra é um resíduo produzido diariamente na maioria das residências. Ela pode ser jogada sobre o solo dos jardins e hortas, na terra dos vasos ou dentro das bromélias. Não se deve diluí-la em água antes de aplicar.
          A larva se intoxica ao ingerir extratos de borra do café. A quantidade de borra a ser utilizada depende da quantidade de água acumulada. Se o local contém o equivalente a meio copo de água de chuva ou de rega, por exemplo, duas colheres de sopa de borra bastam. A mesma quantidade de borra nova deve ser colocada a cada sete dias.



Fonte:
 
 

E você, o que está fazendo para acabar com a propagação destas doenças?