segunda-feira, 18 de julho de 2016

Ética na internet ou internet com ética?


Não precisamos ser gurus para perceber que o mundo está passando por uma quarta onda de transformações. É cada vez mais repetitivo dizer que estamos vivendo a era da revolução da informação, lastreada na tecnologia disponível, que elimina as barreiras da distância relacionada à língua e à cultura e nos conduz a novos processos de produção, a novas formas de diversão, a um novo modo de viver e pensar, agir e interagir.

Mas, quanto mais veloz e voraz é o avanço tecnológico, maior é o abismo que separa o mundo tecnologicamente "in" do mundo tecnologicamente "out".

Consequentemente, estas transformações na escola estão relacionadas aos alunos de hoje, que já não são iguais aos de ontem, principalmente no que se refere aos comportamentos ético e disciplinar. Não adianta nos lamentarmos diante disso, pois tal fato é consequência de que os pais também não são iguais aos de antigamente; as cidades mudaram, os valores humanos, enfim, o mundo todo mudou. As transformações dos últimos quinze anos foram muito mais significativas do que as ocorridas de 1900 a 1990.

As principais mudanças mundiais, entretanto, concentram-se nas formas de comunicação, especialmente em razão do avanço da informática e dos meios eletrônicos. Os diálogos entre amigos, que até a década de 1970 ocorriam pessoalmente, no final do século XX passaram a acontecer por telefone e hoje se dão pelo computador.

Seguindo o “velho conselho” de um sábio pensador, vale lembrar que “Há coisas que pensamos, mas não dizemos; e outras que dizemos, mas não escrevemos, sob pena de nos arrependermos”.

Entretanto, sem levar em conta a lição acima, as conversas de hoje são registradas. As comunidades Facebook, Orkut, os e-mails, torpedos via telefone celular e os bate-papos virtuais imperam entre os jovens. Temos nos deparado com diversos relatos de abusos no uso dessas formas de comunicação.

Pensamos que o grande desafio é conscientizar as crianças e adolescentes, de que alguns comportamentos na utilização dos meios eletrônicos são “atos infracionais” e devem ser restringidos.

É importante que todos saibam que suas comunicações virtuais não lhes garantem o anonimato, como muitos parecem acreditar. É fundamental que tenham a informação de que não podem ofender as pessoas impunemente, nem imputar conduta imoral ou desonrosa a alguém, sob pena de responderem por tais atos. Mesmo sendo menores de idade, na medida em que cometam “crimes”, podem ser responsabilizados em consonância com o Estatuto da Criança e do Adolescente. Essa lei oferece vários direitos à criança (menor de 12 anos) e ao adolescente (menor entre 12 e 18 anos), mas é preciso alertá-los de que ela também pune.

É oportuno destacar que os “atos infracionais” podem gerar punições, especialmente aos adolescentes, que são as seguintes: I - advertência; II - obrigação de reparar o dano; III - prestação de serviços à comunidade; IV - liberdade assistida; V - inserção em regime de semiliberdade; e VI - internação em reformatórios (estabelecimento correcional privado).

É de extrema importância saber que se pode estar cometendo crimes de injúria, calúnia ou difamação. Como reforço, devemos mencionar que ao “ofendido” é possível pedir que o Judiciário faça a identificação do autor, pois ele que não conta com o anonimato. O autor das mensagens deve pensar mais antes de escrevê-las, pois poderá responder legalmente pelos seus atos.

Para tanto, sugerimos que todos reflitam sobre o que é ética e se conscientizem de que a boa convivência na Internet depende de uma série de regras conhecidas como netiqueta ou etiqueta na rede. As regras incluídas na netiqueta não foram definidas por uma autoridade no assunto, mas criadas pelos próprios usuários ao longo do tempo. Também não existe um texto único e definitivo sobre o tema, mas várias interpretações espalhadas pela rede.

Diante disso temos que fazer uma pergunta para nos mesmos, Eu sei o que é ética?

Segundo o Dicionário Aurélio Buarque de Holanda, ÉTICA é "o estudo dos juízos de apreciação que se referem à conduta humana susceptível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente a determinada sociedade, seja de modo absoluto”.

Alguns diferenciam ética e moral de vários modos:

Ética é princípio, moral são aspectos de condutas específicas;

Ética é permanente, moral é temporal;

Ética é universal, moral é cultural;

Ética é regra, moral é conduta da regra;

Ética é teoria, moral é prática.

Etimologicamente falando, ética vem do grego "ethos", e tem seu correlato no latim "morale", com o mesmo significado: Conduta, ou relativo aos costumes. Podemos concluir que etimologicamente ética e moral são palavras sinônimas.

Leia os Dez Mandamentos da Ética na Internet:

·         Não use o computador para prejudicar as pessoas.

·         Não interfira no trabalho de outras pessoas.

·         Não altere arquivos alheios.

·         Não use o computador para roubar.

·         Não use o computador para obter falsos testemunhos.

·         Não use nem copie softwares pelos quais você não pagou.

·         Não use os recursos de computadores alheios sem pedir permissão.

·         Não se aproprie de idéias que não são suas.

·         Pense nas consequências sociais causadas pelo que você escreve.

·         Use o computador de modo que demonstre consideração e respeito.

E concluindo nosso papo, acredito que poderíamos refletir de novo.

Afinal, o que é ética?    ÉTICA é algo que todos precisam ter.   Alguns dizem que têm.  Poucos levam a sério.  Mas temos que nos conscientizar de que ela é essencial para nossa sobrevivência social.

 

http://www.gdv.com.br/etica/etica.htm

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BARBROOK, Richard. Cybercommunism. How the Americans are Superseding the Capitalism in Cyberspace. Disponível na Web em (03/03/2001)

BROCKMAN, John. Digerati. Encontros com a Elite Digital. Ed. Campus. São Paulo, 1996.

BEAMISH, Anne. Commuties on-line: A Study of Community – Based Computer Networks. Tese de Mestrado em Panejamento de Cidades. Instituto de Tecnologia de Massachusetts – Estados Unidos. 1995. (06/10/1998).

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. (A Era da Informação: Economia, Sociedade e Cultura. Vol.1). São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COATE, John. Cyberspace Innkeeping: Building Online Community. 1993. Gopher://gopher.well.sf.ca.us/00/Community/innkeeping (06/10/1998).

FARMER, R. MORNINGSTAR, C. CROCKFORD, D. From Habitat to Global Cyberspace. <> (29/06/00)

FERNBACK, Jan e THOMPSON, Brad. Virtual Communities: Abort, Retry, Failure? (06/10/1998).

HAMMAN, Robin. Introduction to Virtual Communities Research and Cybersociology Magazine Issue Two.<> (06/10/1998).

LÉVY, Pierre. O que é o virtual? Coleção Trans. Editora 34. São Paulo, 1997.

DICIONÁRIO, Aurélio Buarque de Holanda

ESMANHOTTO, Luís César, fale com – o jurídico - Os recursos eletrônicos e o mau uso pelos alunos, 2005

VALLS, Álvaro L.M. O que é ética. 7a edição Ed.Brasiliense, 1993

 

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Saúde Vocal do Professor


        Dentre as profissões com maior incidência de problemas vocais está, de acordo com estudos, a do Professor, uma vez que as condições de uso vocal e os seus cuidados são, em grande parte, inadequados em relação a este profissional. Justificam esta afirmação:
      ·         uso constante da voz durante horas,
      ·         competição vocal
      ·         intensidade elevada.
          O efeito do mau uso vocal pelo professor varia desde uma alteração imperceptível auditivamente até desvios vocais severos que, muitas vezes, chegam a impedir a atuação profissional.  Contudo, sendo a voz o seu instrumento de trabalho, há necessidade de usá-la várias horas seguidas, vários meses ao ano, por muitos anos de exercício profissional.
          Sendo os Professores profissionais que utilizam a voz como principal veículo de transmissão dos seus conhecimentos, é imprescindível que tomem consciência e compreensão do ato, visto que sua voz torna-se sensível e vulnerável em relação ao tempo e ao uso indiscriminado se não forem adotados os devidos cuidados especiais.


          As características mais comuns da voz e as impressões causadas por cada uma delas são:
·          VOZ ROUCA »» cansaço, esgotamento;
·          VOZ SOPROSA (com ar) »» fraqueza, sensualidade;
·          VOZ MUITO FINA »» fragilidade, infantilidade;
·          VOZ MUITO GROSSA »» autoritarismo, virilidade;
·          VOZ EM TOM MÉDIO »» consciência quanto ao ambiente, controle das emoções e informações;
·          VOZ ALTA/FOR TE »» falta de noção espacial, invasão do espaço do outro, intimidação;
·          VOZ BAIXA/FRACA »» timidez, autoimagem negativa.


          De acordo com Rio (1996), a qualidade é produzida por quem vive em qualidade.
          Atualmente, sabemos que incorporar alternativas que elevem a qualidade dos serviços paralelamente à melhoria da qualidade de vida dos seres humanos reflete diretamente
no bom desempenho do indivíduo no trabalho, qualificando, assim, a sua atuação.
          O desconhecimento de informações básicas de cuidados com a voz pode tornar mais difícil a vida de quem dela depende para exercer sua profissão.

          Indivíduos que usam a voz em caráter profissional necessitam conhecer e saber utilizar seu instrumento de trabalho, visto que a informação por si própria não é suficiente para a mudança de estilo de vida.
          Para atingir o objetivo da preservação vocal com qualidade, é necessário que o professor aprenda a incorporar alguns hábitos e a eliminar tantos outros prejudiciais à sua saúde. Enfim, é necessário que sejam feitas mudanças no plano pessoal e no ambiente.
Rio (1996, p. 15) diz que “Qualidade de Vida corresponde à percepção que cada um tem de si, num dado momento. Quanto melhor for esta percepção, melhor a qualidade de vida.”

          O profissional, ao se conscientizar dos fatores que propiciam a qualidade de expressar-se com saúde vocal, provoca mudanças de conduta social e profissional que acabam beneficiando um comunicador eficaz e autêntico.  Para tanto, deve, sobretudo, conhecer as condições de produção vocal, identificando desde situações do ambiente e seus prováveis riscos ocupacionais até fatores endógenos de cada profissional, o que o levará a compreender a dinâmica profissional e a importância da sua voz para a realização da profissão.
          Usar a voz excessivamente por si só não determina um desvio vocal.
          Mas o somatório desse esforço vocal contínuo e do desconhecimento de técnicas vocais pode facilitar o aparecimento de uma disfonia.
           As disfonias profissionais preocupam aqueles que têm a voz como instrumento de trabalho, e a incidência tem atingido índices bastante consideráveis, principalmente na
classe dos professores.

          Os sintomas de fadiga vocal, cansaço e perda da intensidade vocal causam, juntamente com fatores psicológicos, as rouquidões e, até, as afonias.
          A realidade desse quadro é constatada pelo crescente número de professores licenciados, afastados ou readaptados que exercem outras funções nas escolas, deixando de lecionar, o que causa angústia, frustração e sentimento de inutilidade.


ORIENTAÇÕES PARA O CUIDADO DA VOZ

        Alguns estilos de vida que comprometem o rendimento vocal devem ser evitados, principalmente antes de começarem as aulas, como o uso do cigarro, álcool, bebidas geladas, café, chocolate e produtos lácteos que, de modo geral, auxiliam na produção de processos catarrais alterando a qualidade vocal.
          Abandonar os vícios e adquirir novos hábitos não é uma tarefa muito fácil.
          Por isso, o professor deve ter paciência e dedicação, dependendo da sua predisposição em renunciar a alguns maus hábitos vocais.
          Quanto ao encaminhamento, o professor que sentir qualquer indisposição ao falar deve procurar um otorrinolaringologista e ser examinado para a verificação de alguma patologia no aparelho fonador. Na ausência de uma patologia, deve encaminhar-se ao fonoaudiólogo para a correção dos possíveis defeitos da fonação.

          No que se refere à alimentação, deve ser evitada a ingestão de comidas pesadas e condimentadas, pois provocam o refluxo gastroesofágico, podendo irritar a garganta e produzir catarro.
          Um estômago cheio pode interferir no suporte diafragmático e no refluxo do suco gástrico, assim como o café aumenta o suco gástrico e o leite, o sorvete e o chocolate aumentam a viscosidade da secreção mucosa, impedindo a livre movimentação de vibração das pregas vocais na fonação. Sem contar que tais alimentos resultam na necessidade de pigarrear para limpar a garganta.
          O professor, antes de utilizar sua voz profissionalmente, deve evitar o café e derivados do leite e se alimentar de refeições leves, como verduras, legumes e frutas, evitando alimentos gordurosos e temperados.
          Temos o conhecimento, também, de que o mel solta a musculatura da boca e faringe por agir como lubrificante das caixas de ressonância superiores.
          No que se refere a gengibre, não existem estudos que comprovem sua eficácia ou malefício.
          É recomendado, ainda, que sejam cumpridos horários regulares de alimentação, mastigando bem os alimentos com amplitude de movimentos para auxiliar numa boa articulação e dicção.
          Quanto às pastilhas, sprays e drops, o uso dos mesmos deve ser ignorado, principalmente daqueles à base de menta, uma vez que irritam a mucosa. Eles não ajudam a refrescar a garganta, mas sim mascaram os sintomas de esforço vocal (ardor, dor, etc)
por possuírem o poder de anestésicos.

          É recomendado ainda, beber bastante líquido, principalmente água, cerca de oito copos ou dois litros ao longo do dia para hidratar o organismo.
          Pinto (1997, p. 4) alerta que “ se a mucosa das pregas vocais estiver ressecada, a probabilidade de desenvolver alterações orgânicas secundárias passa a ser muito maior, devido ao atrito de uma prega contra a outra”.
          Quem é respirador bucal tem o fator ressecamento agravado, uma vez que a função do nariz não é exercida (filtrar, aquecer e umidificar o ar), necessitando, desta forma, de quantidade maior
de líquido do que o respirador nasal.

          O ressecamento pode ser minimizado se a sala de aula for limpa diariamente com pano úmido
e estiver livre de poeira, fumaça de cigarro ou incenso e pó de giz em suspensão (que pode ser evitado se o professor envolver o seu apagador em um pano úmido).

          Outro agravante é o ar condicionado em salas ou no próprio carro.
          É aconselhável ter sempre ao alcance garrafinhas de água em temperatura ambiente para compensar o ressecamento da mucosa laríngea, ou ainda, provocar a produção de saliva,
deslocando a língua em movimentos de vaivém contra a gengiva, logo atrás dos dentes incisivos centrais inferiores.

         O uso de suco cítrico sem açúcar também colabora na hidratação.
         Apesar dos refrigerantes terem esta propriedade, geralmente são consumidos gelados, e a quantidade de gás no estômago pode prejudicar a livre movimentação do diafragma.
        A água deve ser ingerida em temperatura ambiente, principalmente enquanto se fala, para evitar o choque térmico, pois o corpo está aquecido, podendo ocorrer alterações na mucosa, resultando edemas (inchaço) nas pregas vocais e consequente afonia.
        Isto porque a ingestão abrupta de gelados ou de alimentos muito quentes pode provocar alterações na faringe e laringe, modificando, assim, as qualidades vocais.
         Quando isto for inevitável, uma vez que na maioria das escolas há bebedouros elétricos,
e não bombonas de água, é recomendável a permanência da água gelada na boca, por alguns segundos, para depois ser deglutida, o mesmo devendo ocorrer com alimentos muito quentes.

         Com relação ao sono, este é considerado um fator imprescindível para o bom condicionamento físico e mental. Por isso, a importância de respeitar o tempo de sete a oito horas de sono por dia para o descanso do corpo.
          O sono de qualidade deve ser aquele em que se respira pelo nariz.
          Ao acordarmos, nossa voz possui características próprias devido ao repouso de algum tempo de nossa laringe sem ser utilizada para a fonação.
          Neste período, principalmente se respiramos pela boca durante o sono, haverá um ressecamento de toda a mucosa laríngea.
          O ato de pigarrear não limpa a voz. Ao contrário, o pigarro provoca atrito brusco nas pregas vocais, causando irritação. O melhor a fazer é hidratar o organismo ou respirar profundamente e deglutir.
          Vale ressaltar que, segundo Behlau & Pontes (2001, p. 32), “além do repouso corporal, devemos também considerar o repouso vocal. Após o uso intensivo de voz é ideal um período de descanso ou de uso limitado, com o mesmo número de horas de emprego da voz.”
          A postura é outro item importante para a utilização adequada da voz profissional.
          O tronco alongado ajuda a manter o abdome livre para uma respiração adequada.
          Trabalhar por muito tempo sentado provoca a diminuição da capacidade pulmonar, o
que, associado a uma refeição exagerada, irá interferir na produção vocal.



Alguns exercícios recomendados para relaxamento das pregas vocais:
·         Vibração de língua e lábios ajuda na preparação das pregas vocais para
os períodos de fala prolongados. As pregas vocais são músculos e precisam de aquecimento para não sofrerem ‘lesões nem desgastes.

·         Para relaxar a musculatura facial, são recomendados exercícios, como o bocejo para abrir bem a garganta, e a mastigação de maçã ou salsão antes de usar a voz por um tempo prolongado, o que auxilia na articulação e na limpeza do trato vocal por serem adstringentes, tornando a saliva mais leve e fina.
·         O professor pode ser beneficiado, também, com a prática de caminhadas, alongamentos, natação e ioga, por promoverem relaxamento, estiramento muscular e consciência respiratória.


Fonte:
 




sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Todos na Campanha Zika Zero !!!!

CONHECENDO O INIMIGO
          O mosquito Aedes aegypti é pequeno, mas causa grandes estragos. Ele mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, de cor café ou preta e com listras brancas no corpo e nas pernas.

DENGUE:          A dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. No Brasil, foi identificada pela primeira vez em 1986. Estima-se que 50 milhões de infecções por dengue ocorram anualmente no mundo.
 

VÍRUS ZIKA: CUIDADO REDOBRADO COM AS GRÁVIDAS
          O Zika é um vírus transmitido pelo Aedes aegypti e identificado pela primeira vez no Brasil em abril de 2015. O vírus Zika recebeu a mesma denominação do local de origem de sua identificação em 1947, após detecção em macacos sentinelas para monitoramento da febre amarela, na floresta Zika, em Uganda.
          Um dos maiores estragos que esse inseto causa é a transmissão do Vírus Zika, uma ocorrência nova no Brasil, que pode afetar as mulheres gestantes e causar consequências sérias e profundas no desenvolvimento de seus bebês, como a MICROCEFALIA.

O QUE É CHIkUNGUNYA?          A Febre Chikungunya é uma doença transmitida pelos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. No Brasil, a circulação do vírus foi identificada pela primeira vez em 2014. Chikungunya significa "aqueles que se dobram" em swahili, um dos idiomas da Tanzânia. Refere-se à aparência curvada dos pacientes que foram atendidos na primeira epidemia documentada, na Tanzânia, localizada no leste da África, entre 1952 e 1953.  O QUE É MICROCEFALIA?
          Ocorre quando a cabeça e o cérebro das crianças são menores para a sua idade, o que prejudica
o seu desenvolvimento. Por isso, mulheres grávidas devem ter atenção especial e acompanhamento
em consultas pré-natais.
 
SINTOMAS E O QUE FAZER
          Os principais incômodos são febre baixa, coceira e comichão na pele, além de manchas avermelhadas. Quando isso ocorrer, procure rapidamente o serviço de saúde mais próximo, para receber orientações médicas.


Prevenir é o melhor remédio
          A ação mais simples para prevenção da dengue é evitar o nascimento do mosquito, já que não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação. Para isso, é preciso eliminar os lugares que eles escolhem para a reprodução.
          A regra básica é não deixar a água, principalmente limpa, parada em qualquer tipo de recipiente.
Como a proliferação do mosquito da dengue é rápida, além das iniciativas governamentais, é importantíssimo que a população também colabore para interromper o ciclo de transmissão e contaminação. Para se ter uma ideia, em 45 dias de vida, um único mosquito pode contaminar até 300 pessoas.
prevenção da dengue
Ciclo de Transmissão da Dengue (Imagem: MDS)
          

Ações simples para combater a proliferação do mosquito da dengue

          A dica é manter recipientes, como caixas d’água, barris, tambores tanques e cisternas, devidamente fechados. E não deixar água parada em locais como: vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores, além de outros locais em que a água da chuva é coletada ou armazenada.
É bom lembrar que o ovo do mosquito da dengue pode sobreviver até 450 dias, mesmo se o local onde foi depositado o ovo estiver seco. Caso a área receba água novamente, o ovo ficará ativo e pode atingir a fase adulta em um espaço de tempo entre 2 e 3 dias. Por isso é importante eliminar água e lavar os recipientes com água e sabão.
Prevenção da Dengue
Guarde garrafas sempre de cabeça para baixo.
Encha de areia, até a borda, os pratinhos dos vasos de planta.
Entregue seus pneus velhos ao serviço de limpeza urbana ou guarde-os sem água, em local  coberto e abrigados da chuva
         
Dica: Como eliminar as larvas e os mosquitos da dengue
          Pesquisadoras da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de São José do Rio Preto (SP) descobriram que a cafeína é fatal para o desenvolvimento da larva do Aedes aegypti. No estudo, elas verificaram que quanto maior a concentração de cafeína na água parada contida em vasos, ralos e plantas, menor o tempo de vida das larvas. De acordo com as cientistas, foi  registrada uma taxa de mortalidade de 100%. Nenhuma das larvas conseguiu chegar ao último estágio de desenvolvimento.
Resultados semelhantes foram obtidos com a borra de café. Em laboratório, quatro colheres de sopa de borra de café bloquearam o desenvolvimento de larvas mergulhadas no equivalente a um copo de água.
          Em situações de epidemia de dengue, o método de combate mais usado contra a reprodução do mosquito é a aplicação de inseticidas, mas a maioria desses produtos é tóxica. Além disso, com o tempo, os mosquitos podem adquirir resistência a essas substâncias. A borra de café funciona como um inseticida natural e não faz mal para seres humanos, animais e plantas.
          Outros produtos, como o sal de cozinha e a água sanitária, têm sido recomendados contra o Aedes egypti. Mas há limitações: eles não podem ser aplicados em plantas, por exemplo. A borra é um resíduo produzido diariamente na maioria das residências. Ela pode ser jogada sobre o solo dos jardins e hortas, na terra dos vasos ou dentro das bromélias. Não se deve diluí-la em água antes de aplicar.
          A larva se intoxica ao ingerir extratos de borra do café. A quantidade de borra a ser utilizada depende da quantidade de água acumulada. Se o local contém o equivalente a meio copo de água de chuva ou de rega, por exemplo, duas colheres de sopa de borra bastam. A mesma quantidade de borra nova deve ser colocada a cada sete dias.



Fonte:
 
 

E você, o que está fazendo para acabar com a propagação destas doenças?











  

















 

 
 


 












 
 

 











segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Querido Aluno! Você é bem vindo!!

Querido aluno,
Enfim você chegou!!
Respire fundo.
Sorria.
Deixe suas preocupações de lado.
Entre e sinta-se em casa!
 
Forte abraço,
                                   Professora Marilinha.

domingo, 12 de julho de 2015

Alunos, vamos refletir?

                          Autoavaliação:
           “Reflexão sobre o próprio desempenho, um meio eficiente para o aluno aprender a identificar e corrigir seus erros.”


           Alguns aspectos a serem considerados nesta autoavaliação:
Assiduidade
Pontualidade
Respeito às normas da Instituição
Interesse e Iniciativa
Interação com a turma
Contribuições úteis e oportunas ao desenvolvimento do trabalho
Liderança
Ética e Postura de Professor
Vocabulário adequado
Desempenho total do aluno.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Novas formas de desenvolver os jogos e as brincadeiras.

CN 1001 - IE Eliana Duarte da S. Breijão
Laboratório Pedagógico/ BRINQUEDOTECA em 16/06/2015

"Os jogos e brincadeiras, especialmente àqueles que possuem regras, devem ser utilizados como atividades didáticas. As crianças não estarão brincando livremente nestas situações, pois há objetivos didáticos em questão."









segunda-feira, 18 de maio de 2015

Curtindo "Tempos Modernos"

 
     O filme "Tempos Modernos", de Charles Chaplin, foi produzido em três anos entre 1933 e 1936é uma fonte riquíssima para enfocar a evolução das tecnologias, desde a questão do áudio, cor e mostrar a influência e o impacto do maquinismo e das utopias técnico-científicas na contemporaneidade.  

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=7TUE_L2u3eg